Maternidade e segurança social

Sobre o projecto do governo de reformar a segurança social e beneficiar os pais (/penalizar quem não reproduz): não acredito que os autores da proposta esperem aumentar a natalidade com esta simples medida, antes tratar-se de uma medida de justiça social (e nisso o governo parece-me agir coerentemente). De forma a induzir o aumento da natalidade o governo teria que investir seriamente na segurança social e nos beneficios (a curto prazo) às famílias com recursos de que o país não dispõe.

Uma curiosidade que pode não ter qualquer signicado mas constitui interminável fonte de piadas lá em casa: As estatísticas (gráfico, OCDE) apresentam a Itália como um dos países com uma das mais baixas taxas de natalidade (conjuntamente com a Espanha, Polónia e Portugal a curta distância. Curiosamente, países "católicos"). Para variar os dois  casais italianos que conheço, e cujos mais velhos frequentam ainda o infantário (nascidos em 2000) têm, cada, cinco filhos, entre alguns meses e os 6 anos de idade. Não pretendo insinuar que tal fertelidade se deve aos benefícios que o estado finlandês concede. Uma explicação possível é o ambiente que se vive na Finlândia, há quem diga que não dá para mais nada. E depois católicos, já se sabe, nada de preservativo… 

1 Response to “Maternidade e segurança social”



Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




News Feeds

a

Calendário

Maio 2006
M T W T F S S
« Abr   Jun »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Estatística

  • 2,012,828 hits

%d bloggers like this: